capa video sem sesc.png

SOBRE AUTORAS E AUTORES

Celeste Gennuso (ARG)

Acróbata aérea, bailarina en formación constante y docente de acrobacia aérea en tela, aro y flexibilidad. Es profesora de artes visuales lo que la inclina a trabajar en la investigación y práctica de las artes escénicas del movimiento (circo y danza) en diálogo con las mismas. Es docente de aéreos desde 2009 y en 2013 creó Maroma, un espacio cultural de circo y danza ubicado en Bahía Blanca, en el que es coordinadora general. Además forma parte de la compañía de artes escénicas El despegue.

aut02daniel.jpg

Daniel Satin (COL)

É colombiano, palhaço, bufão, artista plástico e circense há mais de 12 anos. Já viajou por diversos países do mundo apresentando espetáculos circenses e fazendo formação em palhaçaria e teatro físico. A base de sua formação foi construída por meio de tentativas e práticas nas ruas, praças, parques, teatros, lonas de circo ou qualquer outro espaço não convencional. Além de seu esforço e dedicação no aperfeiçoamento empírico de suas técnicas, a procura por informações e mestres formaram seu modo de atuar, a partir da fusão de outros estilos e habilidades. atualmente estuda direção teatral na SP Escola de Teatro de São Paulo.

aut03debora.jpg

Débora Ishikawa (SP)

É Bacharela em Ciência e Tecnologia e Ciências Biológicas pela Universidade Federal do ABC e mestre em Neurociência e Cognição. É acrobata e tem uma formação circense independente. Estudou tecido acrobático, equilíbrio, malabares, clown e trampolim acrobático em São Bernardo do Campo (Cajuv). Integrou o Núcleo de Montagem Circense da Escola Livre de Teatro, em Santo André, sob coordenação e direção de Marcelo Milan, Renata Zaneta e Luiz Alberto de Abreu. Foi ginasta no Grupo Julio’s e no Grupo Bavani. Estudou como artista residente na Salto International Circus School (Portugal), no Câmpus HOP! através do Seminario de Formación en Artes del Circo - Módulo I (Argentina) e na Escola de Circo CIa do Circo (Campinas), onde desenvolve a técnica de mão a mão. Foi  técnica de luz da Trupe do Trapo e do grupo T.a 3, produtora e acrobata no Coletivo Lateral. Em 2017, co-fundou com Alessandro Coelho a Companhia Gravitá. Foi contemplada em diversas edições do Proac para criação e circulação de número e espetáculos.  Em 2019 a Companhia Gravitá recebeu o prêmio de 1º lugar na mostra competitiva do Festival Internacional de Circo FIC SP com o número Rascunho 37. Desde o início de sua trajetória, esteve em diversos Festivais de Circo pelo Brasil em Festivais internacionais como o Festival de Artes de Rua de Arouca (Portugal) e o Circus International Film Festival.

aut04erika.jpg

Erika Mesquita (SP)

Atriz circense, palhaça, aerialista e produtora. Em 2001 iniciou-se nas artes circenses enquanto cursava paralelamente graduação em Artes Cênicas na Universidade de Brasília - UNB. Em 2004, criou a Cia. Circo Rebote, juntamente com o artista circense e palhaço Atawallpa Coello, dedicando-se a pesquisar circo, teatro, palhaçaria e música. Da pesquisa com a companhia nasceram os espetáculos: Tome sua poltrona, em 2007, e Columpio em 2009. Com estes espetáculos vem participando como artista de festivais de palhaços, de artistas de rua, artes cênicas e de circo em todo o Brasil e em mais 7 países: Peru, México, Suíça, Alemanha, França, Itália e Índia. Em agosto de 2017 estreou seu espetáculo solo de palhaça Berinjela, A grande! Foi contemplada com o Prêmio Funarte Petrobrás Carequinha de Estímulo ao Circo em 2011, com a criação de um número de corda marinha em balanço, Nuvem, em 2013 com a circulação do espetáculo Columpio, e em 2019 com o projeto de criação de novo espetáculo solo Titânia, cuja estreia ocorreu de maneira virtual em novembro de 2020. Atuou como acrobata aérea em três montagens da Trupe Mirabolantes em Brasília: Síndrome de Clown, Absinto e Kanta. Foi assistente de direção dos espetáculos Síndrome de Clown, da Trupe Mirabolantes, do Clowntemporâneo e A domadora de bicicletas, da Marmotagem e Cia. Dirigiu os espetáculos de acrobacia aérea Caleidoscópio e Mulher do Mundo em 2017. Idealizadora e produtora do FESTIRUA – Festival Internacional de Artistas de Rua de Brasília, com 3 edições realizadas em Brasília: em 2015, 2016 e em 2019. Atualmente vive em Praia Grande,  na Baixada Santista,  em São Paulo.

aut05giulia.jpg

Giulia Cooper (SP)

É palhaça, atriz, produtora, malabarista e saxofonista. Em 2010, fundou o grupo Caravana Tapioca, no qual atua em diversos espetáculos, já tendo apresentado em variados espaços e festivais. Também integra o elenco dos Palhaços Sem Fronteiras desde 2017. Estudou palhaçaria com Sue Morrisson, no Canadá e com Avner Eisenberg nos EUA. Ganhou o Prêmio APACEPE de melhor atriz em 2015. Cursou o CEFAC (Centro de Formação Profissional em Artes Circenses- SP). Estou roteiro, direção e produção na Academia Internacional de Cinema e Escola Levante 42. Além disso, realizou cursos de palhaçaria com diversos mestres e mestras do Brasil e do mundo. Orienta artistas através de seu projeto “Laboratório de criação de cenas cômicas” e ministra cursos de comicidade. Escreveu e lançou o livro “Baú Circo no Beco: histórias de um picadeiro a céu aberto”. Produziu diversos eventos circenses. É bacharel em filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco e tem como foco de seus estudos o riso.

aut06helder.jpg

Helder Vilela (SP)

Natural de São Caetano do Sul - SP, nascido em 01/09/1984 e residente em São Bernardo do Campo. Graduado em Educação Física Licenciatura e Bacharelado e com especialização em Atividade Física para a terceira idade pela Universidade Metodista de São Paulo. Foi bailarino e intérprete de Libras por 4 anos no Grupo Intregarte corpo de dança, onde realizou diversos trabalhos com dança e atividade física voltado para cadeirantes, pessoas com baixa ou total perda de visão e audição e deficientes físico e mental. Com formação de Técnico em Artes Circenses pela Escola Nacional de Circo do Rio de Janeiro, trabalhou na instituição por aproximadamente 1 ano como professor de circo nas modalidades de parada de mãos, faixas áreas, mão a mão, contorção e acrobacias de solo. Trabalhou em grandes circos no Brasil como Beto Carreto, Marcos Frota, Circo Mirage, Circo Moscow e Circo Tihany. Também fez algumas temporadas na África e Europa com o Circo Darix Togni. Foi protagonista do espetáculo COSMOS do Cirque du Soleil com um ato solo de Aerial Straps fazendo temporada nos países do Mar Mediterrâneo. Integrante do Duo Simetria, renomada dupla de mão a mão e conhecida nacionalmente pela excelência artística e técnica, atuam no mercado de entretenimento desde janeiro de 2017. Atualmente trabalha com diversas Cias. e empresas pelo Brasil com atos circenses solos e/ou em dupla, palestras sobre circo e o mercado de trabalho e workshops circenses voltados ao treinamento físico. Participa constantemente de vários festivais nacionais e internacionais, tendo conquistado diversos prêmios tais como: Primeiro lugar no 1º Festival Internacional de Circo do Rio de Janeiro contorção com (Duo Dual), 1º Festival de Circo Negro do Brasil, Circus International Film Festival - Aerial Straps - Spirit of Africa - (USA), 5º e 7º Festival Internacional de Circo do Ceará (Duo Simetria), Universo Casuo entertainments (Duo Simetria) Turnê Chile, 10º Festival Paulista de Circo (Duo Simetria), Cores Da Bahia um circo diferente (Duo Dual) Itália, Alemanha e Eslovênia, Circo Darix Togni Marrocos e Itália (Trio Asgard). E diversos outros eventos espalhados pelo mundo.

aut07iara.jpg

Iara Gueller (SP) 

Artista circense e produtora artística. Formada em Dança pela UNICAMP (2013) e na Escola Superior de Artes Circenses - ESAC (2017) na Bélgica. Atualmente cursa o Certificado em Dramaturgia Circense do Centro Nacional de Artes do Circo - CNAC na França. Participou de diversas criações ao lado de diretores de circo, teatro e dança, entre eles Roberto Magro (Itália), Catherine Diverres (França), Tato Villanueva (Argentina), Erica Stoppel (Brasil), Sylvain Honorez (Bélgica), Leandro Mendoza (Espanha) e Adrian Schvarzstein. Enquanto artista cria e apresenta seus trabalhos solos paralelamente ao  trabalho com companhias e coletivos tais como o Circo Zanni, Cia K, Cia Cíclicus (Espanha) e Cie. Balltazar (Bélgica). 

aut08jc.jpg

JC Barbosa (AP) 

Artista amapaense que atua há 12 anos no cenário artístico cultural. É ator, Artista Circense, Fotógrafo, Produtor Cultural e Arte-Educador. Formado em Técnico em Arte Circense pelo Instituto Federal Escola Nacional de Circo (IFRJ – 2021). Foi instrutor do Curso de tecido acrobático para Iniciante na Cia de Artes Tucuju com o Projeto Cirquinho Tucuju em 2016, foi professor de Circo no Grupo de Dança MASTERPIENCE em 2016 a 2018, foi instrutor de Circo no SESC - AP no Projeto anjos da Guarda em 2018, Idealizador do Projeto Intervenção NorCenica (Encontro dos artistas) que aconteceu em Macapá no período de 08 a 29 de Dezembro de 2018, foi assistente de produção cultural no Cortejo Produções Artística em 2021 – AP e professor de circo no Projeto Ballet Manguinhos do Rio de Janeiro desde 2020. Trabalhos realizados: A mais de 20 Espetáculos Circo/Teatro, performer circense e Educador circense. Atuou como ator no Grupo Cia de Arte TUCUJU por 5 anos de 2014 a 2018 onde fiz parte de espetáculos de teatro/circo.  Participou do Grupo de Dança na Escola Petit Dance como bailarino de 2016 a 2018.

aut09kelly.jpg

Kelly Cheretti (SP) 

É formada em Artes Cênicas pela Unicamp, participou como residente do Laboratório da Escola Nacional de Circo e cursou a especialização de Anatomia Aplicada às Artes Circenses, na Santa Casa, SP, em 2017. Desde 2014 vem trabalhando com grupos de Campinas como Cia ParaladosanjoS, Cia do Circo, Cia Corpo Mágico e Circo da Silva, além de desenvolver o seu trabalho como artista individual, com o número "Ouroboros" dirigido pela pesquisadora Marília Ennes e atualmente, com a criação do espetáculo solo "(Re)Doma" projeto desenvolvido juntamente com o professor e diretor Alex Machado. Também participou de projetos como Festival Tangolomango, 1o Festival International Cirque Contest of Brazil, Festival de Circo Paulista e IV Seminário Internacional de Circo da FEF. Como educadora colaborou em diversas instituições, como no Espaço Taba; na Formação Cultural, em Hortolândia e no Instituto Entrando em Cena. Atuou em diversos espetáculos, tais como: o musical "A Bela e a Fera Experience"; “Clássicos do Circo”, Cia Corpo Mágico; “Tchu Tchu Tchu”, “Aventura Piraçara”, “Euethéia: um elogio à loucura”, “Balagan ou que Bagunça é essa?”, Cia ParaladosanjoS; “Seja Digital”, Duo Mares e como preparadora corporal do espetáculo "Sob o mesmo teto", Cia Gravitá.

aut10ludmila.jpg

Ludmila Condé (DF)

Circense e instrutora de Yoga. Adora experimentar e misturar diferentes modalidades do movimento em uma busca constante por sua expressão artística. Se sensibiliza pela sutileza do ordinário e por sua quebra através de ações inusitadas e surreais. Graduada em Sociologia e Antropologia, pela universidade de Brasília, onde se apaixonou pela investigação das diferentes manifestações humanas, trazendo-as como inspiração para seu desenvolvi-mento pessoal e artístico. Atualmente cursa Educação Física, faz parte do Núcleo Criativo Luneta que apresenta o espetáculo ÓtimoMáximo, e se interessa pelo estudo e aplicação da segurança no circo.

aut11cacau.jpg

Luiz Torres Cacau (PB)

Nascido no Território sertanejo do  Estado da Paraíba, na Cidade de Sousa,  Ator, Encenador e palhaço seu aprendizado e  processo de formação é autodidata , Produtor, Ativista Cultural, iniciou suas atividades no TAS Teatro de Amadores de Sousa no ano de 1984, e Grupo Oficina em 1988, Ex. Vice-Presidente Sertão da 4° REGIONAL Federação Paraibana de Teatro Amador-PB de 1994 a 1998, em 2002 exerce a função de Diretor de Cultura do Município de Sousa, e inicia  o processo de criação  da  Fundação Municipal de Cultura  fundada em  01/01/2004, criação   do Fundo Municipal de Cultura em 17/09/2009, em 02/01/2014 é o quarto Presidente da fundação Municipal de Cultura exerce o cargo até até 2017, em 15/12/2014 sob sua gestão cria o Sistema Municipal de Cultura do Município de Sousa. Como ator participou de vários espetáculos de Teatro, como encenador dirigiu vários espetáculos do GTO, tendo sido premiado em vários festivais regionais e nacionais, Coordenou o projeto de Circulação de bens culturais do Estado da Paraíba região de Sousa - PB em 1993. Criador e Coordenador do Projeto  Fazendo Artes na Cidade de Sousa, que desenvolvia trabalhos de  formação em teatro, dança, artes plásticas e música percussiva. Atualmente é Coordenador do GTO e responsavel pelo Espaço Oficina, Teatro João Balula.

aut12luiza.jpg

Luíza Fontes (PE)

Atriz, palhaça e contadora de histórias e arte educadora, é bacharela em Teatro pela UFMG, formada na Escola Livre de Palhaços (ESLIPA- RJ), na Escola de Palhaças (SP). Atua profissionalmente desde 2008 e já participou de diversos espetáculos de circo e teatro, tendo atuado junto aos grupos e coletivos: Duas Companhias (PE); Instituto HAHAHA MG; Coletivo Calcinha de Palhaça; Cabaré Divinas Tetas (MG). Junto à Simon Oliveira criou o espetáculo Aqui Gardênia Existe, tendo apresentado em MG; PI e PE entre 2016 e 2018. Trabalhou entre 2014 a 2017 no Insituto HAHAHA (ONG de palhaços profissionais que fazem visitas semanais a crianças hospitalizadas e realizam espetáculos com a linguagem da palhaçaria). Atualmente produz e atua no Cabaré dos Sonhos e integra o elenco do Palhaços sem Fronteiras. Criadora da cia Gardênia Criações e Criaturas, desenvolve há 12 anos a palhaça Gardênia.

aut13laura.jpg

Maria Laura Juez (ARG)

O estudo e o trabalho nas artes circenses começaram na Escola do Circo do Capão, na Chapada Diamantina (BA), durante os anos 2009 até 2013. Posterior-mente, em 2014 e 2015, completou sua formação em Circo Integral na Escola de Artes Urbanas de Rosário, Argentina. E em 2018 graduou-se na Universidade Técnica em Dança Contemporânea, da Universidade Provincial de Córdoba. Na atualidade trabalha como professora de acrobacia de solo e composição cênica no circo contemporâneo, e faz parte da cia. La Fantom Circo.

aut14marthinha.jpg

Marthinha Böker (BA)

Artista, pesquisadora e educadora em artes Circenses,  sócia Fundadora da Companhia de Circo “Pétalas ao Vento”, atuando nas áreas de Composição Coreográfica e Improvisação, produzindo e atuando em espetáculos que discu-tem gênero, desigualdade social e contextos de opressão. Licenciada em Dança, Estudante do mestrado profissional em Dança (UFBA), Propõe o Circo como uma tecnologia educacional, tendo promovido ações em comunidades e espa-ços de vulnerabilidade social. Tem experiência com Palhaçaria, arte educação com pessoas com deficiência, acrobacia aérea e acrobacia coletiva em solo.

aut15noel.jpg

Noel Rosas (URU)

Creadora, investigadora, gestora y docente en artes escénicas con 14 años de recorrido profesional. Curiosa en el encuentro de circo, performance y danza. Desde 2014 gestiono Plataforma Clo en Uruguay promoviendo la creación, co-laboración y circulación de contenidos experimentales de circo y performance. Integro Colectivo Back to Back, nos preguntamos por la poética, estética y política del cuerpo en vinculación con otros cuerpos y medios tecnológicos para la escena. Gestora y co-curadora de Hablemos de Circo, espacio virtual para el diálogo y reflexión de las artes circenses en latinoamérica. Miembro fundadora de la Red de Artes Circenses de Uruguay, co-gestora de las Jornadas Nacionales de Reflexión sobre Circo y el Día Nacional de Circo. Investigo en la escena liminal y expandida, vinculando lo artístico con las inquietudes que emanan del tiempo y contexto donde se desarrollan. Desde 2016, me desempeño como directora artística y dramaturga en obras de circo contemporáneo. Integré durante siete años la Compañía Mermejita Circus A.C en México. He circulado en destacadas salas y festivales con proyectos solistas y colectivos en Uruguay, México, Brasil, Argentina, Chile, Tenerife y Perú.

aut16priscila.jpg

Priscila Fernandes (SC)

Artista visual, circense e educadora de Florianópolis - SC. Graduada em Licenciatura em Artes Visuais pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC, e mestranda no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas na mesma instituição. Participou do Grupo de Formação em Circo - GForC (2018) da Circocan International School of Circus (Florianópolis - SC), e atualmente estuda no Intituto Nacional de artes do Circo - INAC, em Portugal. Suspensão capilar e cordalisa são suas especialidades. 

aut17rodrigo.jpg

Rodrigo Mallet Duprat (GO)

Acrobata, malabarista, palhaço, ator e diretor. Atualmente artista independente e criador da cia Bravata de circo e teatro (2020). Cofundador e artista da Cia Los Circo Los (2004-2019), com participação em festivais nacionais e internacionais e premiações de mérito artístico. Atualmente, está como coordenador e professor de Circo da Escola do Futuro do Estado de Goiás em Artes Basileu França – Goiânia/GO e diretor do Corpo Circense Basileu França. Possui Pós-Doutorado (2020), Doutorado (2014) e Mestrado (2007) em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, com Menção honrosa - Prêmio Capes de Teses 2015 e IV Prêmio da Asociación Científico-cultural de Investigación y Docência en Actividad Física y Deportes. É co-autor do livro “Artes Circenses no âmbito escolar” (2010), autor de diversos artigos e capítulos de livros, membro do Grupo de Pesquisa em Circo - CIRCUS/Unicamp e da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas – ABRACE, além de desenvolver pesquisas nas áreas de: corpo, linguagem e arte; circo e teatro de rua; pedagogia do circo; formação do profissional circense; comicidade, mímica, acrobacia, malabarismo e equilibrismo.

aut18scher.jpg

Scher Dias (SP)

Graduada em dança – licenciatura pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (iniciou em 2015 e se formou em 2019). Iniciou sua trajetória na licenciatura através de projeto Mais Educação (2011-2014) e no decorrer de sua trajetória acadêmica participou do PIBID – Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (2016). Colaboradora em Coletivo Orbita desde 2018 e do evento Revirada Circense desde 2019 onde desenvolveu a oficina de “DRAMATURGIA DO MOVIMENTO URBANO – Possibilidades em criação para dança com malabares” e coordenou algumas apresentações artísticas na “Noite da Diversidade” para o mesmo evento. Atualmente desenvolve trabalhos artísticos através de sua rede social Instagram, intitulados como “Corpos em Chamas” oriunda de sua pesquisa feita como trabalho de conclusão de curso na época da universidade e também a “Variete da Diversidade Artística” onde reúne diversos artistas distintos das áreas da Circo/Dança/Música/Poesia/Teatro.