Trupe Arlequin

Trajetória

A Trupe Arlequin, fundada em 10 de dezembro de 2008 na cidade de João Pessoa, Paraíba, surge com o intuito de desenvolver uma pesquisa-prática em torno das poéticas teatrais e circenses.

Nesses 13 anos de trajetória a Trupe apropria-se de uma pesquisa contínua voltada para a investigação do que se denominou de Tríade Corpórea, que tem como matéria prima o corpo do intérprete. O estudo é dividido em três linhas de pesquisa: Corpo Condicionado (Circo), Corpo Risível (Palhaço) e o Corpo Expressivo (Teatro). As referidas corporeidades servem de base para subsidiar as montagens tanto dos experimentos teatrais como dos circenses.

Ao longo desta trajetória foram criados oito espetáculos: “Muvuca Circense” (Dir. Diocélio Barbosa - 2009), “Sonho de Voar” (Dir. Diocélio Barbosa - 2009), “Circo Arlequin” (Dir. Diocélio Barbosa - 2009), “Nada, Nenhum e Ninguém...” (Dir. Marcos Pinto - 2009) e “O Divino Calvário” (Dir. Marcos Pinto - 2011) em parceria com o Grupo GECA, “Por Que não Servem Pizza no Natal?” (Dir. Fernando Teixeira - 2012), “O Palhaço e a Bailarina” (Dir. Joevan Oliveira - 2014), "Xulé à la carte” (Dir. Diocélio Barbosa – 2017) e "Dupla de Dois" (Dir. Diocélio Barbosa – 2020).

No campo da Formação, atualmente possui duas atividades formativas em seu repertório: “O Corpo Cômico” e “Poéticas da Dramaturgia Circense”, as quais já foram ministradas em projetos e festivais nacionais e internacionais.

As obras e atividades formativas já percorreram as 05 regiões brasileiras por meio de Festivais, Encontros e Mostras nacionais e internacionais. No exterior se apresentou em festivais e centros culturais de países como Portugal (Lisboa e Porto) e Argentina (San Martin e Avellaneda). 

Durante a sua trajetória, a Trupe vem promovendo importantes eventos circenses e teatrais de nível nacional e internacional na Paraíba, a exemplo do Festival Internacional Balaio Circense (2009, 2012, 2013, 2015 e 2018), proporcionando assim (re)encontros entre a comunidade artística e o público em geral. 

A Trupe já atuou como Ponto de Cultura no período de 2014 a 2019. A magia e a poesia presentes nos trabalhos da Trupe Arlequin a torna referência enquanto articuladora da arte paraibana.

                                                   “No palco, na praça, no circo, no banco de jardim...”

(Chico Buarque)

Arlequins

20210302_235920.jpg

Jonathan Silva

Diocélio_Barbosa_(8).jpg

Diocélio Barbosa